domingo, 1 de fevereiro de 2015

Afinal....

Quando um não quer, dois não podem ser felizes!

Para quem está de fora, é bem mais fácil perceber quando alguém está insistindo numa história que, muito provavelmente, não tem futuro. Mas para quem está envolvido diretamente nesta tal história, tentando simplesmente ser feliz no amor, parece que sempre vale a pena tentar mais uma vez.

Afinal, quase sempre o outro dá alguns sinais. Em geral, não ...são exatamente sinais verdes, mas amarelos, com certeza. Ou seja, deixa brechas que fazem com que a pessoa se encha de esperança, crie expectativas e fortaleça a ideia de que, quem sabe, talvez, se persistir mais um pouquinho, dê certo e engatem um encontro de verdade.

Acontece que, entre uma esperança e outra, sempre vêm duas ou três frustrações, mais furos, mais desencontros, menos sintonia. E assim segue o ritmo desgastante e doloroso que só não vê quem não quer: quando um não está disponível, dois não podem viver uma história de amor!

Se você se identifica com algo parecido, se tem se sentido derrapando na estrada que acredita que te levará ao encontro da tão desejada felicidade, lembre-se do sábio dito popular: “para um bom entendedor, meia palavra basta”. Isto é, pare de dar “murro em ponta de faca”, reveja suas escolhas, olhe para a realidade tal qual ela se mostra e pare de viver de ilusões seguidas de desastrosas desilusões!

Você merece bem mais do que isso, mas só vai viver, de fato, algo que realmente te faça crescer e se sentir feliz quando acreditar nesta possibilidade e acender, você mesmo, todos os sinais vermelhos para esta história morna, sem intensidade, sem profundidade e sem coração na qual você vem insistindo em investir.

Em primeiro lugar, perdoe tudo isso, todo o seu passado e todo o seu presente. Compreenda que todos nós erramos para, então, finalmente, acertar! Agora, convicto do que quer, talvez você se dê conta de que a pessoa que está procurando, a que você realmente quer encontrar, não é esta com quem vem lutando e se machucando há tempos. A que você realmente merece encontrar é aquela que estará tão envolvida quanto você.

Sim, isso mesmo, você precisa de um novo amor, mas não de um amor que só existe no seu mundo ou nas suas expectativas vazias. A partir de hoje, portanto, vai investir na busca ou mesmo na espera (consciente e equilibrada) de um amor recíproco, intenso, inteiro, entregue, que esteja tão disposto quanto você a experimentar todos os sentimentos e a superar qualquer dificuldade.

Um relacionamento que lhe renda sonhos realizados, desejos vivenciados e uma história consistente entre duas pessoas que reconhecem que vale a pena insistir, sim, num amor, desde que os dois corações estejam seguindo o mesmo caminho, na mesma direção. E assim, quem sabe, você nunca mais se deixe consumir numa insistência masoquista, esvaziada de qualquer criatividade ou reciprocidade...

Isto é amar e ser livre. Amar e ser feliz!

Seu mundo que é meu

E nem tudo é o que parece ser. Nem toda palavra escrita tem o peso da palavra falada. E nem tudo é interpretado do jeito que deveria ser...
Você ali, jaqueta, camisa amassada, calça jeans clara meio surrada, sapatos extremamente brilhantes, sentado numa roda, falando sem parar, frio de meio de ano.
Olhei, e ainda não era ninguém conhecida (talvez continue não sendo, realmente não importa), mas olhei, cada movimento enquanto, ainda prolixo em suas falas, levantava-se e pelo pulso puxava a jaqueta, talvez para repararem menos na camiseta desleixada.
Toda sexta feira, em suas palavras era minha solidão que me tomava, a parte de mim que mais gosto, que mais me faz completa, a solidão dessa necessidade de mundo, de conceitos, de concordâncias.
Essa distância da estrada comum e proximidade e pluralidade de uma alma tão minha que ninguém tira.
Nem tudo é interpretado do jeito que deveria ser, e talvez visse aquilo como um momento de amor. Não, não se julgue tão bom. É um amor meu. Só meu.
Amor não precisa ser isso pregado socialmente e loucamente, com sentimentos de posse. Amor pode ser livre. Amor pode ser múltiplo. Amor pode ser só amor. Sem rótulos. Sem números. Sem medos. Nem toda palavra é o que parece ser.
A tempos não escrevia publicamente. Gosto de me esconder atrás de mim, atrás da minha posição, atrás dos conceitos hora sociais, hora psicológicos. Faz bem conviver tranquilamente com o mundo fora de mim.
Meus textos andavam sendo só meus, guardados em cadernos na gaveta. Eu preciso das palavras. Sem elas e a liberdade forjada que essas mesmas palavras me aparentam, não sobrevivo ao mundo cheio de padrões sociais. Mas extrínsicamente não exista liberdade.
Aí chega você, ali, com camisas desleixadas, barba por fazer, e pensamentos tão naturais a mim, e tão divergentes à aqueles que seguem o fluxo.
"Sexo verbal não faz meu estilo, palavras são erros e os erros são seus." Mas suas palavras faziam sexo comigo.
Sentir seus lábios me fez ir além, imaginando palavras.
Não sou boa de poesia, prefiro prosas. Na verdade não sou boa em escrever quase nada. Sou boa em sentir, em ouvir. E eu ouvi aquela sua poesia. Não me interessa pra quem era. Nem preciso saber. Mas sei que olhei nos seus olhos, e você viu, olhou também, talvez até intencionalmente, mesmo que eu não acredite nisso. Te devorei com os olhos, você percebeu. Você também me olhava sempre. Eu senti.
Ah, seus lábios!
Não tem nada haver com você, mas isso me dá uma falta de ar. Pensei em tantas palavras para dizer como sua prolixidade para tentar se fazer entender era minha.
Seus olhos espertos, rápidos, perdidos. Imagino eles em cima de mim, me olhando, corpo a corpo.
Engraçado. Na estrada, no caminho pra casa, pensei em escrever sobre meu desejo por você, mas aí, escrevendo percebo que meu desejo é por mim.
Que diferença do que eu era. Que diferença do que eu precisava. Que diferença dos meus amores, todos platônicos. Enfim percebo que o que eu sempre procurei está dentro de mim, dentro dos meus livros, daquela estante onde agora Justine se incluí.
Minha história real, talvez tenha começado há 8 anos, quando precisei me reinventar, quando precisei ultrapassar minhas fronteiras, meus limites. Quando realmente perdi, aprendi o que era o amor. Não aprendi o que era o amor para os outros, continuo não gostando de rosas, mas aprendi o que era esse sentimento tão estranho pra mim. E aprendi acima de tudo que é essa minha liberdade de prisões e conceitos que faz meu coração ser tão livre, tão meu, e tão de todos.
Amo. Amo você, amo ele, amo ela, amo eles. Liberdade saca?
Cara, como essa tal liberdade é boa. Não a liberdade fora da lei, a liberdade interna. Ter limites é necessário para a convivência social, e necessário para o mundo corporativo, mas dentro de mim, os limites são inalcançáveis. Não há fronteiras quando se trata de pensamentos, de imaginação.
Minhas febres noturnas de vida, essas queimações nas veias que me urram vontades extremas, me gritam a necessidade de inteligência, que me externam do mundo comum e que me fazem procurar o ultimo brilho lastimável de compreensão humana inviável à minha escolha de vida, me fazem lembrar o quão completa eu sou em mim.
As vezes me falta a segurança do desejo do outro. Desejo que senti em suas pernas encostando nas minhas, ou nos seus olhos no meu corpo. Não sei porquê, mas não consigo ver tesão só por tesão, só por corpo. Tesão está na cabeça, está no olhar. Tesão é desejo.

Eu cuidarei do meu céu e do meu mar. Talvez eu cuidarei de você e de mim, do meu jeito, apenas na minha lembrança, porque é assim que eu sou, livre e distante.





sábado, 22 de dezembro de 2012

Mania de Você


Mania minha de sentir e não falar.
De querer e não tentar.
De ter medo de te incomodar.

Ai fico aqui, desse jeito, que nem eu consigo entender... só por causa dessa minha mania de não falar.

Mania minha de continuar ali mesmo que o mundo ao redor esteja desabando. Mania de insistir e de acreditar que não é bem assim. Mania minha de aceitar meras desculpas sem nexo como se as mesmas fossem flores perfeitas de um jardim em primavera.

Eu e todas as minhas manias que me deixam aqui com o coração na mão, pensando no que poderia ser diferente de tudo isso que o mundo traz.

Mania minha de me despir inteira para qualquer um olhar, mas continuar ali, cheia de trapos para quem realmente precisa ver.

Mania de me entregar.

Mania minha de devorar livros e mais livros sem nunca ler o ultimo capitulo, para não parecer tão bitolada em inteligência.

Mania minha de amar errado, intensamente, todos os dias, sofrer por um segundo e desamar logo em seguida.

Mania minha de sorrir com comentários simples, enquanto lágrimas encharcam meus olhos de tristeza.

Mania de querer que os homens da minha vida sempre estejam aqui. Sim, todos os homens da minha vida, todos os que me apaixonei por um segundo imortal.

Mania de querer falar e nada sair.
Mania minha de esperar o telefone tocar e não ter coragem para ligar.

Mania minha de acreditar nas pessoas, de dar uma chance.

Mania de escrever, sobre tudo e sobre nada, e de me deixar tão exposta em palavras.

Mania de pensar em você.

“ E nessa de cuidar, vou cuidar de mim. De mim, do meu coração e dessa minha mania de amar demais, de querer demais, de esperar demais. Dessa minha mania tão boba de amar errado...”

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

EU SOU DE GÊMEOS

- (Rapha Perrone)

No meio de tanta gente vejo algo em mim bem diferente, é lá no fundo, mas nem no raso, alguém entende

Meio esquecido, inteiro agitado, posso esnobar aquele domingo, mas brindar em um céu todo molhado.

Acho que não me encaixo, nos meus cachos fico perdido, e quando eu me acho, escondido te faço um pedido;
Para não ligar se eu esquecer até mesmo de você, para não ligar se eu esquecer até mesmo de te dizer que:

- Eu sou de gêmeos, eu sou de gêmeos, paparicado e carente sou um tipo diferente, eu sou de gêmeos, eu sou de gêmeos, do certinho ao inconsequente não sou do tipo inocente, eu sou de gêmeos.

Não sei o que me completa em um ano tenho mais que mil dias, eu sei que uma coisa é certa, o que realizo ninguém imagina nem em quinhentas vidas
Me apaixono de manha, caso a tarde, tomo um porre no fim do dia e de madrugada sou só da night (saí!)

Deixo tudo para amanhã, nosso caso já não me arde, finjo que o porre foi ao meio dia, te dou um beijo e me mando para marte (bye!)
Não tente me culpar, eu já fiz a minha parte, nos confundir para você ser minha alma gêmea, um dia eu volto quando bater aquela saudade, por que:

Eu sou de gêmeos, eu sou de gêmeos paparicado e carente sou um tipo diferente, eu sou de gêmeos, eu sou de gêmeos, do certinho ao inconsequente não sou do tipo inocente , eu sou de gêmeos.

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

E a vida continua!


Hoje acordei feliz... olhei pra trás e vi que os últimos 5 anos valeram a pena. Eu cresci, e muito. Não sou mais a mesma menininha que tinha medo da vida. Que tinha medo de errar. Valeu a pena : TUDO!!! Cada obstáculo, cada barreira, cada pessoa desacreditando da minha vontade e determinação. Tudo isso me deixou mais forte e mais determinada.
Falar que não deu vontade de desistir seria hipocrisia minha. Mas hoje eu acordei sorrindo, com vontade de quero mais, com o gostinho da felicidade no sangue, e dessa vez as lágrimas escorrem nos olhos não por tristeza, medo, decepção.. mas pela alegria que me invade a alma por eu estar aqui e ter conseguido tudo o que até aqui eu vinha lutando pra ser.
Eu venci!!! Que delicia dizer isso: EU VENCI!!! Todas as barreiras, toda a negatividade.
E nessa hora que não só agradecer aos que estiveram ao meu lado, que com certeza foram muito importantes, mas quero também agradecer a todos aqueles que foram meus obstáculos, que desacreditaram, que tentaram me impedir, que me decepcionaram, pois esses me ensinaram que eu posso muito mais, o tempo todo. Me ensinaram a ter força e determinação, me ensinaram que as pessoas não são insubstituibilidade, e que por mais que as vezes seja mais fácil sem aquilo no caminho, não é porque fica difícil que a gente não tem capacidade pra fazer. Me ensinaram acima de tudo a não depender de nada nem ninguém para correr atrás do que me faz feliz!!!
Não caberia espaço para agradecer a todos pelos meus dois grandes sonhos que se realizaram essa semana, porque nesses cinco anos foi muita gente envolvida, tanto pra bem quanto pra mal. Mas a pessoa que mais tenho a agradecer por tudo é minha MÃE que me ensinou que não podemos desistir do que queremos, que me ensinou a amar as pessoas, e confiar na capacidade do ser humano mesmo que isso nos decepcione mais tarde.
Agradeço a minha família imensamente tanto aos que sempre estiveram do meu lado e comemoraram junto comigo cada passo, que me apoiaram, que vibraram junto comigo, quanto àqueles que me tentaram me puxar pra baixo e me ver no fundo do poço, aqueles que nunca deram a atenção que eu implorava pra ter, aqueles que me decepcionam como família, aqueles que invejam minhas conquistas, aqueles que foram ingratos e tentaram tirar o que eu tinha. Agradeço a minha avó por ter me ensinado que reconhecimento não existe, ao meu irmão por ter me ensinado a amar, brigar, dar carinho e me preocupar, por ter me dado forças todos os dias para continuar e fazer por aqueles que dependiam de mim. As minhas mais que lindas "filhas" por mostrar que infância existe, inocência também, e que família tá ai pra ser curtida. Agradeço a mãe delas pela educação que deu a essas meninas, e por me dar oportunidade de curtir-las um pouquinho, por torcer junto comigo, por vibrar junto comigo e por tantas vezes ter ouvido meus resmungos muitas vezes sem razão.
Agradeço aos meus amigos, e que estão ali todos os dias e os que já não estão mais no meu dia a dia, os que fazem parte das minhas conquistas ou trabalho, esforço, horas mal dormidas, aqueles que muitas vezes deixaram de sair e se divertir para estar ao meu lado, ou que estiveram ali mesmo que só dando apoio, os que hoje não são mais amigos mas que um dia foram e lutaram junto comigo. Aos meus inimigos, aos que eu considerava meus amigos mas não eram, aos que me tiraram alguma coisa... As cervejas tomadas que eu precisava pra aliviar a tensão. As noites mais que extraordinárias que me davam animo pelo mês inteiro. As viagens de noites mal dormidas, as lentes que filmavam tudo aquilo que aprontávamos. Aos amigos distantes em endereço e próximos em companheirismo.
Agradeço a todos que já trabalharam na Atualittá, e aos que hoje trabalham ainda. Cada um, tento trazido bons ou maus resultados, porque cada um me ensinou uma coisa diferente e me fez ser uma melhor profissional. Nas brigas, nos desentendimentos, nas caras feias, nos serviços mal feitos, na falta de vontade, na falta de compreensão, na falta de gratidão, nos acertos, nas horas a mais trabalhadas, no apoio, na dedicação, nos esforços e em cada comemoração de um novo cliente. Àqueles que saíram falando mal da minha empresa, que me julgaram, e que disseram que aquilo não era lugar para eles, porque hoje realmente minha empresa não é lugar pra eles, porque ela é muito melhor que isso.
Agradeço aos homens que passaram pela minha vida, aos que me amaram e aos que me rejeitaram. Agradeço pelo carinho que cada um me deu, de formas diferentes, por me ensinarem a não viver de amores, por me ensinarem a não ser carente, a engolir qualquer tipo de dependência emocional. Agradeço a um especificamente por ter me ajudado a crescer tanto, por eu ter tentado ser cada dia melhor,  sem que ele soubesse que fazia tanto por mim, e mesmo sem nunca tê-lo ao meu lado sempre terá de mim um carinho enorme.
Agradeço a Veronika Koba e toda a estrutura da Marcela Campos por me permitir voltar a dançar, por reafirmar meu amor por essa arte tão linda, tão energética!! Agradeço a todos os que já foram meus professores de dança, desde a infância, por terem me ensinado a amar cada dia mais esse negócio louco que poucos entendem de passar horas na academia treinando, sair com o corpo dolorido, ficar extremamente brava por errar os passos e não conseguir manter a perna a mais de 90º graus com tudo extremamente esticado por alguns minutos. Aos gritos de "estica essa ponta" "segura o abdomem" ""faz direito" ...

CARA: A VIDA VALE A PENA ..... MEUS SONHOS FORAM CONQUISTADOS!!!  E hoje me escorrem no rosto lágrimas de alegria ao invés das comuns de tristeza.

Meu muito obrigado a cada um que passou pela minha vida, de uma forma ou de outra, para bem ou para mal.

EU CONSEGUI!!!!

Vamos lá que a vida não para por aí, e tem muito mais pela frente, vamos agora a outros sonhos, outras conquistas, outras vitórias. Felicidade eu tô aqui!!!

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Bem vinda Vida Nova!


Chega uma hora que bate o medo, misturado de ansiedade pelo novo, com a nostalgia de tudo o que o velho deixou. O coração aperta, pede mais um minuto pra olhar tudo, mais um suspiro pra conseguir respirar aquilo que te consumiu por tempos mais uma vez. 

O novo chegou, a luta foi vencida, a determinação mostrou que é possível .... mas e a saudade fica onde? E o aprendizado ? E as histórias ? E aqueles anos todos, ali, lutando, brigando, rindo, correndo, trabalhando igual uma louca, as pessoas que ali passaram e que deixaram lembranças maravilhosas umas, ruins outras ?? E isso tudo ?? Essa mistura do crescimento racional com o apelo emocional do passado, crescimento, conhecimento, aprendizagem, história de vida ?? 

Quanto sentimento misturado num mesmo espaço...

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

É isso!

Amor

Simples e puro amor pela dança!!
Sabe quando você faz algo que te liberta totalmente do mundo ?


Algo que você sabe que não tem limites, que te transborda de energia ..


é isso!

sábado, 3 de novembro de 2012

Houve um roubo. Alguma coisa ficou perdida. Alguma coisa se quebrou, e não foram só as janelas. 



Mas nem todo roubo é ruim né, afinal a gente rouba beijos. 

sexta-feira, 2 de novembro de 2012

Existem algumas coisas que me deixam extremamente desanimadas. Uma delas é eu me dedicar a alguma coisa, me esforçar, dar o melhor de mim, e mesmo assim ficar ali no cantinho, escondida, sem brilho. Outra é eu ser completamente apaixonada por algo que eu não possa dar o melhor de mim.
Eu sei que eu posso mais, que meu limite é muito mais longe, que minha técnica pode ser mil vezes melhor. Falta a oportunidade para me desenvolver.

Aí fiquei ali olhando tudo aquilo, comparando com o que tinha me dado, um pedaço de alguma coisa, quase sem nada, enquanto o resto tava lá, cheio de glamour, um espetáculo.

Encerra-se o espetáculo e eu atrás da coxia.

domingo, 21 de outubro de 2012

Complexidade Minha


Dessa vez não vou evitar dizer o que está na minha cabeça só porque eu sei que minha mente geminiana vai negar no dia seguinte, não fugirei de palavras bonitas porque quem diz não é uma pessoa perfeita, não arrumarei mil defeitos pra brigar contra as novecentas e noventa e nove qualidades, não desviarei meus olhos por medo de ter minha mente lida, não sumirei por medo de desaparecer, não vou ferir por medo de machucar, não serei chata por medo de você me achar legal, não vou desistir antes de começar, não vou evitar minha excentricidade, não vou me anular por sentir demais e logo depois não sentir nada, não vou me esconder em personagens, não vou contar minha vida inteira em busca de ter realmente uma vida.
Dessa vez não vou querer tudo de uma vez, porque sempre acabo ficando sem nada no final.
Estou apostando minhas fichas em você e saiba que eu não sou de fazer isso. Mas estou neste momento frágil que não quer acabar. Fiquei menos cafajeste, menos racional, menos eu. E estou aproveitando pra tentar levar algo adiante. Relacionamentos que não saem da primeira página já me esgotaram, decorei o prólogo e estou pronta pro primeiro capítulo

terça-feira, 16 de outubro de 2012



‎"Viva! Viaje! Dance! Sorria! Aproveite a vida... Ame. Apaixone-se. Erre. Erre quantas vezes forem necessárias... Sorria mais. E brinque. Chore. Beije. Morra de amor... Sinta. Sonhe. Cante. Grite. Viva... O fim nem sempre é o final. Ou talvez seja o inicio de uma vida ainda melhor... A vida nem sempre é real. A roda nem sempre é gigante. O passado nem sempre passou. O presente nem sempre ficou. O hoje nem sempre é agora. O tempo... o tempo não pára! O destino é o que embaralha as cartas, mas nós somos os que jogamos. Então.... pule! Arrisque!" 

segunda-feira, 9 de julho de 2012

Não é querer perfeição. Ok, eu aceito as coisas não serem exatamente do jeito que eu quero, até porque o mundo tem opiniões divergentes das minhas. Eu aceito as pessoas terem mil e uma outras prioridades. O que não dá pra continuar aceitando é vida de faz de conta.... Ou a gente luta pra ser feliz, ou não vai ser nunca.

domingo, 8 de julho de 2012





A pior coisa  é quando alguém faz você se sentir especial, e de repente, te deixa de lado. E aí você tem que agir como se não se importasse.
Mas o fingir que não se importa machuca, fere e doí...


Aprenda garota, que não existem pessoas que você não consegue viver sem. Existem pessoas que você sente falta, mas continua vivendo!

sexta-feira, 18 de maio de 2012

Esta vida é sua. Tome o poder de escolher o que você quer fazer e fazê-lo bem. Tome o poder de amar o que você quer na vida e amá-lo honestamente. Leve o poder de andar na floresta e fazer parte da natureza . Tome o poder de controlar sua própria vida. Ninguém mais pode fazer isso por você. Leve o poder para tornar a sua vida feliz.

Vivemos só para descobrir beleza. Tudo o resto é uma forma de espera.

terça-feira, 15 de maio de 2012





- Você não tá com uma cara legal, dormiu bem?? 
- Ah, eu passei a noite inteira pensando .. 
- E eu posso saber sobre o quê? 
- Amor e outros desastres ...

sexta-feira, 11 de maio de 2012

Na calada da madrugada.



Me afogava no meio de toda aquela água que me transportava para a minha própria solidão. Aquele não era um dos momentos em que a solitude era necessária, ela vinha imposta.

Não foi por vontade, tesão ou amor que eu fui. Fui porque tentei fugir de mim, sair correndo de tudo o que me atormenta. Apareceu a oportunidade meio que jogada e fui. Pensei que talvez por algumas horas conseguiria aliviar a sensação areiada que insistem em permanecer em meus olhos todos esses dias, seguidos, hora a hora, ininterruptamente. Fui secando, talvez a vastidão de lagrimas tenha secado muitas outras coisas junto, e assim, mesmo naquele momento que seria de fuga, nenhuma parte do meu corpo aceitava reagir a qualquer estimulo feito.

Nada é tão denso quanto o tempo em silêncio, o silêncio indiferente, de quem fala por falar, aquela intimidade fingida entre estranhos, de um perfume qualquer que fica no travesseiro de um motel qualquer. Intimidade estranha essa onde não se ouvem elogios, não se vêm abraços ou carinhos de cuidado. Momentos em que não  mais existem o desafio de explorar.

É uma mistura tão grande de pessoas, faltas, emoções, razões, instintos e intuições que já não sei pra onde uma termina para começar a próxima. Doí a saudade do amor que tive e recebi e perdi. Faz falta um abraço aconchegante, que em noventa por cento dos momentos tem que ser, de uma pessoa a qual consideremos especial. Não que os que ofereçam não o sejam, mas não sei bem explicar o porquê, eles não atingem o ápice da precisão do momento. 

Talvez seja o meu orgulho ou essa necessidade de independência abstrata. Uma imposição de valores invertidos, prazer antes de preocupação. Falta de compreensão daqueles que mais preciso. Ausência de carinho. Nulidade de preocupação. Indiferença. 

E o fato de ser sempre tão extrema em tudo não me traz paz em quase nada. Uma busca de perfeição incompreendida, até por deuses imortais.

Foi ruim...não, foi péssimo, eu não queria estar ali, estava porque que alguém me perguntasse se estava tudo bem, até um estranho, e só com essas três palavras e as mãos se encostando uma na outra, meu momento teria sido absolutamente contrario. Eu não tinha que estar ali, mas por burrice aceitei mais uma vez. Não, não era burrice, era uma necessidade de qualquer outra coisa, menos daquilo. Meu sorriso foi só disfarce, mas tá ficando ruim de disfarçar.

Uma necessidade de poder demonstrar carência, fraqueza. Uma ânsia de cuidado mesmo que hesitado. Do meu lado, Morfeu adormecido. No meu rosto lágrimas escondidas. Mergulhei na banheira, segurei o ar, tentava afogar tudo aquilo dentro de mim para conseguir me mantar viva, queria que isso não voltasse mais. 

Poderia ter ido embora, chamado um táxi, e parado em algum lugar por ai, sem destino. Talvez me sentiria melhor. 

Um amor dado incondicionalmente, cheio de erros e imperfeições, eu sei, mas é só o que eu venho tentando oferecer e recebo em troca a ingratidão, briga por dinheiro, ingratidão não mascara, escancarada e cuspida, de forma rude. Não sei se consigo oferecer o cuidado que nem eu consigo ter pra mim. Um amago no peito, que queima.... Eu precisava dela, eu precisava dele... eu precisava deles. 

Apoio, gratidão, silêncio, palavras só por dizer, ou mesmo nada. Mas que fosse menos escuro e cruel. A madrugada poderia ser menos fria. 

E mesmo perguntando a ele se queria por um pequeno momento ouvir algo que eu poderia ter a dizer, tive como resposta a negatividade da mão estendida. 

Parei, olhei para as luzes acesas dos carros correndo, cruzando-se as iluminação da rua, percebi que já havia dirigido por mais de quarenta minutos sem destino. Tava na hora de voltar pra casa. Tudo é passageiro, e mesmo depois de tudo isso, eu já volto a tentar arranjar desculpas para essa incompatibilidade  forjada. 

Chorei, e ele não percebeu. Ela não veio me dar a mão. Todos os outros se fingiram de cegos. Enxuguei o rosto, coloquei um belo sorriso, usei a mascara da maquiagem para tirar as olheiras, e fui, continuar em frente, me fechar na minha independência emocional forçada pelo mundo, tentar mais uma vez fingir que nada me incomoda. Continuar com minhas ironias intocadas para o mundo, e um pouco de brutalidade para conseguir me defender. 

O muro continua sendo construído. Urgência de cuidado. Inevitável. Saudade que mata ....

terça-feira, 8 de maio de 2012

Solidão

E quando a gente quer jogar tudo pro alto e viver uma vida normal?? Nada muito fora do comum não, pode ter toda essa rotina cansativa de trabalhar, estudar, cuidar da casa ... mas que seja normal saca?
E quando a gente quer ter uma família de verdade?? Só uma família.. que as vezes tome café ou almoce junto, que esteja no seu aniversário, ou ao menos aceite o convite para te acompanhar nos casamentos, para que você não tenha a obrigação de sempre aparecer sozinha com qualquer desculpa esfarrapada de que os demais não puderam ir. Nada exacerbante ..
E quando a gente quer ter um lar pra voltar e tudo que tem é uma construção fria e vazia?? Um lar aconchegante, nem precisa de muita frescura não, nem luxo... só um lugar que se possa ser chamado de lar.
E quando a gente quer colo de mãe e não tem??
E quando a gente quer um abraço apertado e tem que se contentar com a solidão??

E quando acontece tudo isso junto e a gente tem que manter o sorriso na cara e fingir que é forte pra agentar mas já não é mais?? Faz o quê ???

domingo, 25 de março de 2012

O MENESTREL


Um dia você aprende que... 

Depois de algum tempo você aprende a diferença, 
a sutil diferença, entre dar a mão e acorrentar uma alma. 

E você aprende que amar não significa apoiar-se, 
e que companhia nem sempre significa segurança. 

E começa a aprender que beijos não são contratos
e presentes não são promessas. 

E começa a aceitar suas derrotas com a cabeça erguida
e olhos adiante, com a graça de um adulto
e não com a tristeza de uma criança. 

E aprende a construir todas as suas estradas no hoje, 
porque o terreno do amanhã é incerto demais para os planos, 
e o futuro tem o costume de cair em meio ao vão. 

Depois de um tempo você aprende que o sol queima
se ficar exposto por muito tempo. •.
E aprende que não importa o quanto você se importe, 
algumas pessoas simplesmente não se importam... 

E aceita que não importa quão boa seja uma pessoa, 
ela vai feri-lo de vez em quando e você precisa perdoá-la por isso. 

Aprende que falar pode aliviar dores emocionais. 

Descobre que se leva anos para se construir confiança
e apenas segundos para destruí-la,
e que você pode fazer coisas em um instante,
das quais se arrependerá pelo resto da vida. 

Aprende que verdadeiras amizades continuam a crescer
mesmo a longas distâncias. 

E o que importa não é o que você tem na vida,
mas quem você é na vida. 

E que bons amigos são a família que nos permitiram escolher. 
Aprende que não temos que mudar de amigos
se compreendemos que os amigos mudam, 
percebe que seu melhor amigo e você podem fazer qualquer coisa, 
ou nada, e terem bons momentos juntos. 

Descobre que as pessoas com quem você mais se importa na vida 
são tomadas de você muito depressa, 
por isso sempre devemos deixar as pessoas que amamos
com palavras amorosas, pode ser a última vez que as vejamos. 

Aprende que as circunstâncias e os ambientes tem influência sobre nós, 
mas nós somos responsáveis por nós mesmos. 

Começa a aprender que não se deve comparar com os outros,
mas com o melhor que você mesmo pode ser. 

Descobre que se leva muito tempo para se tornar a pessoa que quer ser, 
e que o tempo é curto. 

Aprende que não importa onde já chegou, mas onde está indo,
mas se você não sabe para onde está indo,
qualquer lugar serve. 

Aprende que, ou você controla seus atos ou eles o controlarão, 
e que ser flexível não significa ser fraco ou não ter personalidade, 
pois não importa quão delicada e frágil seja uma situação, 
sempre existem dois lados. 

Aprende que heróis são pessoas que fizeram o que era necessário fazer, 
enfrentando as conseqüências. 

Aprende que paciência requer muita prática. 

Descobre que algumas vezes a pessoa que você espera que o chute 
quando você cai é uma das poucas que o ajudam a levantar-se. 

Aprende que maturidade tem mais a ver com os tipos de experiência 
que se teve e o que você aprendeu com elas
do que com quantos aniversários você celebrou. 

Aprende que há mais dos seus pais em você do que você supunha. 

Aprende que nunca se deve dizer a uma criança que sonhos são bobagens, 
poucas coisas são tão humilhantes e seria uma tragédia
se ela acreditasse nisso. 

Aprende que quando está com raiva tem o direito de estar com raiva, 
mas isso não lhe dá o direito de ser cruel. 

Descobre que só porque alguém não o ama do jeito que você quer 
que ame, não significa que esse alguém não o ama, 
pois existem pessoas que nos amam, 
mas simplesmente não sabem como demonstrar isso. 

Aprende que nem sempre é suficiente ser perdoado por alguém, 
algumas vezes você tem que aprender a perdoar-se a si mesmo. 

Aprende que com a mesma severidade com que julga, 
você será em algum momento condenado. 

Aprende que não importa em quantos pedaços seu coração foi partido, 
o mundo não pára para que você o conserte. 

Aprende que o tempo não é algo que possa voltar para trás. 

Portanto,plante seu jardim e decore sua alma,
ao invés de esperar que alguém lhe traga flores. 

E você aprende que realmente pode suportar... 
que realmente é forte, e que pode ir muito mais
longe depois de pensar que não se pode mais. 

E que realmente a vida tem valor
e que você tem valor diante da vida! 

Nossas dúvidas são traidoras e nos fazem perder o bem
que poderíamos conquistar, se não fosse o medo de tentar. 

© William Shakespeare 

sexta-feira, 23 de março de 2012

Amor, sexo e burrice.


Sou brava, e mal humorada em certas manhãs, porém em outras acordo cantando, e dando bom dia até para os passarinhos, não sou acomodada, estou sempre querendo conquistar algo novo... gosto que tudo ao meu redor funcione corretamente, não suporto injustiças, não suporto gente burra que pensa que está me convencendo, não suporto mentiras fúteis, só as misericordiosas são necessárias... Às vezes gosto de futilidades, comprar o que não preciso, cortar o cabelo só 1cm para mudar o humor.... Ás vezes não penso, só faço, e depois me encontro melancólica, pergunto-me porque as coisas não poderiam ser mais fáceis... A verdade é que nem tudo depende da nossa vontade 

Fizeram a gente acreditar que cada um de nós é a metade de uma laranja, e que a vida só ganha sentido quando encontrarmos essa outra metade. Não contaram que já nascemos inteiros, que ninguém em nossa vida merece carregar nas costas a responsabilidade de completar o que nos falta. Se estivermos em boa companhia, é só mais agradável. Fizeram a gente acreditar que os bonitos e magros são mais amados, e que sempre haverá um chinelo velho para um pé torto. Só não disseram que existe muito mais cabeça torta do que pé torto... Ah, também não contaram que ninguém vai contar isso pra gente. Cada um vai ter que descobrir sozinho.  

Eu me sinto completa em tudo na minha vida. Mesmo com todos os tombos já levados, e muitos deles por ser tão inocente em querer acreditar que existe uma desculpa para tudo o que outras pessoas fazem para nos ferir. Entre todos esses erros o maior foi você, o que me trouxe mais arrependimentos.

Arrependo-me por ter te esperado. Arrependo-me por ter sido tão sua. Arrependo-me dos olhos nos olhos. Arrependo-me pelos beijos caprichados. Arrependo-me por ter suportado coisas calada. Arrependo-me pelo ciúme. Arrependo-me pelo presente. Arrependo-me pelos cartões comprados e não entregues. Arrependo-me pelos convites para passeios. Arrependo-me pelas saídas noturnas vestidas de gargalhadas de felicidade. Arrependo-me pelos telefonemas chorosos cheios de saudade tentando não transparecer. Arrependo-me pelo “eu te amo” dito e tantas vezes repetido em silêncio. Arrependo-me por ter acreditado quando você disse que voltaria. Arrependo-me por ter trocado o certo pelo duvidoso. Arrependo-me por ter comemorado tantos finais de semana ao seu lado e ter brindado cada um deles com champagne importado com meus amigos. Arrependo-me por ter caído nas suas artimanhas. Arrependo-me pelas recaídas. Arrependo-me por ter alugado minhas amigas noites e noites falando sobre nós dois. Arrependo-me por não ter conseguido mais me interessar por outras pessoas. Arrependo-me por ter visto sua foto todos os dias. Arrependo-me pelas loucuras. Arrependo-me pelo afeto. Arrependo-me pelas estradas noturnas. Arrependo-me pelas insistentes preocupações em saber se você estava feliz. Arrependo-me pela paixão. Arrependo-me pelas confissões e juramentos. Só não me arrependo do amor que senti. Se não tivesse te amado demais não teria crescido tanto

Acredito que o meu maior erro tenha sido insistir em amar!! Palavras simples, mas perfeitas para descrever esse sentimento meio adolescente de quem não quer perder, mas sabe que tem que deixar partir. Talvez o amor não seja algo que acontece com a gente, talvez seja algo que a gente escolhe.

Penso todos os dias em desistir, e estou realmente me acostumando com a idéia. Você me fez acreditar nisso, e agora estou aqui, acreditando. Acreditando que nunca daria certo, porque mesmo sem expressar motivos, você sempre me afirmou isso. Porque mesmo sabendo que eu faria de tudo para te agradar, você nunca me deu oportunidade alguma. Porque mesmo sendo tão sua, e somente sua, você nunca foi meu. Finalmente acreditei e deletei seu numero.

Não precisa saber que eu choro porque me sinto perdida neste mundo gigante. Nem que eu faço coisas estúpidas quando estou carente. Um dia irá saber da minha mania de me expor em palavras, que eu escrevo o tempo todo, em qualquer lugar, e em muitos, que diferente daqui, você não pode e nunca irá ler. E, repito novamente, não pense que é falta de consideração eu dividir tanto de mim com tanta gente e excluir-te dessa minha segunda vida, porque há duas maneiras de saber o que eu não digo sobre mim: lendo nas entrelinhas dos meus textos ou olhando nos meus olhos e ouvindo o que eu penso sobre esse mundo louco, cheio de gente engraçada e intrometida, gente que mente e não se importa, e gente como eu que ama e não  diz. E a segunda opção você nunca teve por escolha própria, porque nunca se interessou em perguntar, ler, interpretar ou procurar!

Talvez eu realmente só não via o que acontecia porque não queria quebrar minha regra: eu só transava com pessoas que eu não amava e só amava as pessoas com quem não transava, porque assim não corria o risco de me machucar. E eu transei com você, e eu amei você, e eu me machuquei com você! Burrice, eu sei! Agora, mais uma vez eu quero tentar te esquecer....


quinta-feira, 22 de março de 2012

Constancia inconstante.



Vieram me perguntar quem sou eu.
Talvez a resposta poderia ter sido simples: Eu sou Aline, prazer! E voce?
Mas parei pra pensar, como dizia Clarice Lispector:

    "Com todo o perdão da palavra (...): eu não sou o meu nome. Meu nome pertence aos que me chamam." 

Eu não sou meu nome, eu sou um aglomerado de sinonimos, significados, emoções, caracteristicas, atributos, percepções, necessidades, expectativas...
Queria responder que sou apenas uma menina. Mas as vezes sou mulher, então essa seria uma resposta inutil. Quando menina e adolescente me achava precoce demais em muitas coisas, no comportamento por exemplo, certas coisas sempre me pareceram excessivamente infantis para a época. Por outro lado, muito ao contrario de mim mesma, sempre estive em incrivel atraso em coisas mais importantes, ainda sendo até hoje, mesmo  adulta, tendo uma inocencia quase infantil. Nada posso fazer. Em mim, sempre viveram juntas uma menina e uma mulher.


E quando for proibido foder?

(texto antigo, que estava guardado somente no rascunho, escrito antes da lei anti fumo entrar em vigor, e postado publicamente somente agora)

Olha, não concordo com o fato de não fumantes serem obrigados a fumar, mas também não concordo com os fumantes não terem opções de diversões noturnas!

Seria bem como dizer: "Voce pode escolher, tem amigos e sai para baladinhas, barzinhos, vai se divertir, ou seja isolado do mundo e fica na sua casa porque lá voce pode se foder que ninguem vai se importar!"

Eu sou fumante, e concordo com os não fumantes quando dizem que não são obrigados a aguentar a fumaça alheia até porque faz mal a saúde e é um saco ter de aturar alguem espelindo fumaça na sua cara! ok ... não estou reclamando disso!

Mas mesmo antes dessa lei estadual, aqui na minha cidade já existiam algumas leis e que eram respeitadas, em restaurantes por exemplo já não é permitido fumar a muito tempo! Portanto, saiamos para jantar, comiamos ( odeio cigarro enquanto estou comendo, sou fumante mas sei tambem o que incomoda!) e qdo saiamos do restaurante pegavamos nossos cigarros! Mas lembrando da opção de ir a um lugar onde sabia que era proibido fumar!

Mas vamos mudar um pouquinho a visão!

Tenho certeza que aqui todo mundo gosta de paquerar, de uns amassos com o namorado, marido, ficante, amigo colorido, enfim .. com quem lhes interressas... todos gostam tbm de sexo e cada um tem seus fetiches, fantasias, escolhas e vontades .. e se fazem por cumprir.... A próxima lei então se fosse "nesse estabelecimento é expressamento proibido qualquer tipo de demonstração de interesse.... não se pode beijar, nos moteis está proibido o sexo, porque o gemido que vc faz incomoda quem esta no quarto do lado, não se pode mais andar de mãos dadas nem namorar pelas ruas.... Ah.. tambem é proibido a troca de olhares, e para não discrimilalizar os heteros, tambem será proibidos grupos de homens ou mulheres andarem muito proximos uns dos outros, porque poderia ser que estivessem tentando surrupiar a lei"

Gente .. desculpa .. mas é ditadurta sim! Deveria existir opções, isso sim seria democracia! Voce pode escolher se quer frequentar um lugar para fumantes ou para não fumantes!

Existem estabelecimentos que vinham se adaptando para fazer areas reservadas, totamente separadas, por portas de vidros fechadas, paredes, ou seja lá qual for a ideia de cada um para transformar o ambiente em areas separadas e com designer bacana ao mesmo tempo!

"Quando os nazis levaram os comunistas, eu calei-me, porque, afinal, eu não era comunista. Quando eles prenderam os sociais-democratas, eu calei-me, porque, afinal, eu não era social-democrata. Quando eles levaram os sindicalistas, eu não protestei, porque, afinal, eu não era sindicalista. Quando levaram os judeus, eu não protestei, porque, afinal, eu não era judeu. Quando eles me levaram, não havia mais quem protestasse" Poema de Martin Niemöller (1892-1984), pastor luterano alemão e opositor do nazismo, em uma de suas várias versões

Nossos direitos de escolha estão cada vez mais reprimidos por causa de pessoas que se sentem incomodadas com as escolhas alheias,... e cada um colhe o que planta,!

Todos os não fumantes estão dizendo que não são obrigados e que acham a lei perfeita! Mas e quando a lei for pra proibir alguma escolha que voce fez para voce! Ai não vão concordar neh!

Logico que não! Qu absurdoooo ... Quando mexe com voce em particular o negocio se torna diferente!!!!

Voces já pensaram que os donos de estabelecimentos estão ali trabalhando e sem opção para seu proprio serviço?
Ira diminuir muitooo o consumo de prestação de serviço em atividades noturnas! O que isso gera para a economia??? ( essa quero que pensem, me recuso a responder algo tão obvio)

Deveria sim existir a democravia e não a ditadura! Ja deixei de fumar em varios lugares que fui .. mas fui sabendo que naquele lugar eu não poderia fumar .. e foi uma escolha minha, não algo que acaretaria em multa ao dono do estabelecimento!

Se uma casa noturna decide que o público alvo interessante a ela é de gays, ninguém é o obrigado a ir lá e ficar reclamando de "cenas homossexuais"... O mesmo vale para o cigarro...

Ah... já que existe tanta preocupação com a população porque não investem em educação e diminuem os salários de cargos políticos? Tenho certeza que 30% a menos de salário para eles investidos em nós (cidadões) melhoraria o quadro brasileiro de saúde, educação, segurança, desigualdade social e por ai vai!

E ainda querem me dizer que não existe algo escondido por traz dessa lei ???

Me poupem!

Esse Serra deveria estar mais preocupado em acabar com a cracolândia, onde o tráfico e o consumo ocorrem a ceu aberto, sob as barbas da polícia. Só que aí o buraco é mais embaixo, pois exige competência. Não basta apenas uma leizinha que o cidadão honesto não reluta em cumprir ... 

O argumento de prejudicar a terceiros já caiu por terra .

É possível as duas coisas... O que não é possível é permitir essa perseguição "por que eu quero o seu bem"...

Fumantes ou não fumantes, sendo clientes ou funcionários podem optar...


Acho essa lei totalmente hipócrita e eleitoreira!

terça-feira, 13 de março de 2012

Promessas


Eu te prometi que seria forte, e estou sendo.
Eu te prometi que cuidaria deles, e estou cuidando.

Eu te prometi tantas coisas que cumpro quase todos os dias. Mas você me prometeu que não me deixaria. E deixou.
Há cinco anos atrás eu chorei meu mundo inteiro, de uma só vez, e você não estava mais lá para me proteger.
Briguei com Deus por sua causa, briguei com o mundo, e ai o mundo virou as costas pra mim... e você não estava lá mais para me aconselhar.
Você foi embora quando eu mais precisava. Quando eu comecei a crescer, conhecer o mundo, perder minha ingenuidade. Você foi embora enquanto eu tava por ai querendo conhecer tudo, brincando de ser gente grande.
Foi difícil, hoje é normal. Na verdade não sei se tornou-se normal por eu ter ressecado um pouco por dentro, por eu ter parado de me importar para não me machucar. Pode ser que é porque eu inventei outras coisas por ai, como eu sempre fiz, aquelas com as quais você sempre se irritava.. continuo igualzinha. Com meu mundo imaginário que ninguém penetra.
Você ainda faz falta, quase todos os dias. Sempre que eu não sei o que fazer, coisa que você mesma sabe que não é incomum se tratando de uma filha desastrada e desligada como eu.
Você ainda faz falta, quase todos os dias. Sempre que eu quero rir até dizer chega, porque ai me lembro do seu sorriso aberto e escancarado, ou daquele sorrisinho tímido e sincero que você tinha todos os dias de manhã quando eu te acordava com um beijo para me levar à escola.
Você ainda faz falta, quase todos os dias. Sempre que eu chego em casa e minhas roupas estão espalhadas, porque não tem mais quem pegue no meu pé, como você fazia mesmo cansada do serviço, ficando comigo conversando até que eu tivesse arrumado todas elas.
Você ainda faz falta, quase todos os dias. Sempre que eu arrumo um paquerinha novo, porque não posso mais te contar, e não confio mais em ninguém para dizer sobre meus sentimentos, sendo assim obrigada a guardar toda a empolgação só pra mim.
Você ainda faz falta, quase todos os dias. Sempre que eu consigo alguma coisa nova, porque queria correr pra sentar no seu colo e te contar tudo e te mostrar que eu sou inteligente, tenho capacidade, e ver você se orgulhando de mim, de uma forma que mais ninguém faz.
É.. você se orgulhava de mim.. e eu dava todo o meu mundo para conseguir ter seu orgulho. Hoje você se orgulharia mais ainda, de várias coisas grandes que conquistei, de muita coisa que aprendi, das pessoas importantes que sempre me escolhem para tarefas grandes. Mas mais ninguém se importa.. era só você.
Você diria que tudo isso é egoismo meu, me daria uma bronca de um jeito tão calmo e tão sensato, que eu te pediria desculpas por ser assim... e você não está aqui para fazer isso. Quem sabe então eu possa ser egoísta dessa vez e dizer que você me faz falta, e que eu sinto falta de tudo em você que me fazia bem.
Eu sinto falta de todo o peso não ser só meu, de poder dividir com você, mesmo sendo todo meu e você só tendo o papel de ouvir o que eu tinha a dizer. Mesmo que sempre dissesse que eu precisava assumir as responsabilidades dos meus atos, mesmo me deixando as vezes sozinha para que eu aprendesse a não depender de ninguém, mesmo me cobrando para que eu não deixasse nada pra trás e nem mal resolvido, mesmo me pressionando para fazer o que eu não queria, mesmo que eu estivesse brava me trancasse no quarto e ficasse de bico... mesmo assim você estava sempre ali. Você ainda faz falta, quase todos os dias.
Você ainda faz falta, quase todos os dias. A saudade ainda bate, o medo, a insegurança... Mas antes de ir, você me ensinou a ter iniciativa, a ser persistente, a ser corajosa, a ser paciente, a ser compreensiva..e acima de tudo, me ensinou que tenho que sorrir mesmo quando não quero.
Você ainda faz falta, quase todos os dias. Sempre que eu vejo que estou comendo errado, que pego um pote de sorvete a mais, ou que como um salgado por pura vontade, lembro de você tentando me controlar, e que eu ficava brava cem por cento das vezes, e mesmo assim você não deixava, e assim eu não engordava mais.
Você ainda faz falta, quase todos os dias. Eu voltei a fazer aulas de dança, e chego em casa depois de todas as aulas com as pernas doloridas, e com as sapatilhas descosturadas (não tenho mais quem me ajude a cuidar delas), ai me lembro que antes das apresentação você sempre ia comigo escolher cílios postiços, meias calças novas, maquiagens... arrumava meu cabelo, e ficava no camarim comigo um tempão até eu parar de ficar com medo e me empolgar com a movimentação toda. E quando eu subia no palco, você tava ali, em algum lugar nas primeiras filas, me olhando com olhos fixos e contando a musica junto comigo. Esse ano você não vai estar lá.

Eu prometi... e te prometo novamente que todas as confissões são só suas, cuidarei sempre do meu irmão, nunca desistirei da empresa e darei o meu melhor para aprender cada dia mais. Continuarei com as minhas promessas de não desistir dos meus sonhos, de tratar as pessoas como devem ser tratadas, que terei paciência e ajudarei em casa. Sempre vou conferir se a porta tá trancada, e se as luzes estão apagadas.

Lembra da música que você gostava e ouvia várias vezes seguidas?? Você dizia que eu tinha que aprender com ela para nunca ter de cantá-la com arrependimento. Eu prometo que não vou deixar isso acontecer.

Prometo sempre lembrar de você.

"Se pudéssemos ter consciência do quanto nossa vida é passageira, talvez pensássemos duas vezes antes de jogar fora as oportunidades que temos de ser e de fazer os outros felizes."

quarta-feira, 7 de março de 2012

A mulher e sua contemporaneidade

E aqui estou eu mais uma vez preparando uma palestra, dessa vez em homenagem ao dia internacional da mulher.
O objetivo principal é fazer um elogio a mulher contemporânea e todo uma preparação psicológica-racional-emocional-profissional.
Já tentei várias coisas diferentes, comecei consecutivas vezes textos diferentes tentando elogiar esse bicho grilo chamado mulher: o sexo frágil, indefeso, carente e burro!


Burro ... isso mesmo! Definição correta para um monte de menininhas por ai (acima de 20 anos diga-se de passagem) que mal sabe enfrentar de cabeça erguida uma rejeição. Rejeição por qualquer coisa, qualquer mesmo, seja do amigo(a), do paquera, do chefe, do pedreiro da esquina que não assovia quando ela passa e já se sente rejeitada.
Aqui não tô falando das poucas mulheres que conheço que são auto suficientes e tem estrutura emocional/intelectual. Estou falando das centenas que existem por ai que não tem capacidade de se auto defender, de levantar a cabeça e seguir em frente. Se escondem atrás de barras de chocolates e potes de sorvetes alegando depressão. Helooooo depressão é doença e geralmente vem seguida de síndrome do panico.
Sinceramente, sou contra esse cínico feminismo defendido erroneamente por qualquer uma, essa que por sua vez nem sabe realmente o significado da palavra, ou como surgiu o feminismo, a guerra dos sexos.
Vamos sair queimando soutienes na praça porque é sexy!! Uhuuu. ( se toca garota!)
A moda deveria ser, mesmo, um bom machismo! Quer ser tratada como mulher ? Comporte-se como uma.
Não sei se recuso o convite a essa palestra, ou se chego lá e tento dar um chacoalhão nas no máximo 200 que estarão me assistindo. Será que vale a pena?
Será que é impossível, na conjuntura atual, uma mulher saber ser sedutora sem precisar ser escandalosa, ter risada tortuosa, viver com a bunda ou a barriga de fora?? Mulher desaprendeu a sentar de perna cruzada, desaprendeu a ser discreta, desaprendeu até a respeitar seu marido/namorado/paquera/pa.
Não quero que ninguém tente ser santo, eu não sou, e me recuso a ser. Mas me doí ver a desvalorização que temos de nós mesmas. Estão te chamando de palavras chulas por aí? Adivinhe minha amiga: a culpa é sua. Sim, só sua e de mais ninguém.
Será que tudo que muitas mulheres de carater, objetivos, e decisão, fizeram a anos e anos atrás, tudo o que elas passaram lutando pelo direito ao voto, ao estudo, ao trabalho não serviu de nada ?
Será que toda a repressão já sofrida, escancarada, não bastou para que aprendêssemos?
Será que a desigualdade salarial, serviços quase escravos, violência domestica, diferença de direitos (as vezes até na alimentação), nada  disso nos foi suficiente para termos exemplos que essa liberdade escrachada não chega a lugar nenhum??
Sou amante da mulher antiga, que sabia se dar o respeito, que sabia ser discreta e reservada. Sou amante da mulher que sabe conquistar sem precisar se exibir. Sou amante da mulher que batalha para conquistar conhecimento, e galgar uma carreia profissional. Mas deixo aqui todo o meu desprezo pelas que sentam-se jogadas, de pernas abertas (usando saia o que é pior ainda), as que abaixam o tom e não sabem se defender quando alguém as maltrata. Desprezo as que não sabem ao menos o que sentem, e choram oceanos de tristeza porque o carinha bonitinho da mesa da frente não lhe deu bom dia hoje.
Tire a culpa da TPM e assuma de uma vez que todo mundo tem instabilidade de humor, mas uma mulher que não sabe se controlar precisa ter uma desculpa para sair julgando, falando, gritando, esperneando por ai.
A mulher ainda é tida como um objeto e não se pode perdurar este estado de coisas. Hoje em maioria, de forma bem mais abrangente e liberal do que antigamente. Tendo em vista que as batalhadoras que têm conseguido um espaço são poucas, vemos que muitas ou não querem ou tem medo de enfrentar essa batalha de igualdade. Medo de ter que ser independente. Medo de ter que trabalhar para se sustentar (arrumar um marido trouxa deve ser mais fácil - por mais que ganhe pouco)


É preciso uma organização com objetivo de eliminar esta imagem da mulher boazinha, que faz a vontade  do namorado, que pode ser feita de boba e usar a inocência para isso, da mulher que só serve para fazer propaganda de produtos industriais mostrando seu corpo, ou mesmo em filmes de sexos explícitos. A mulher tem que dar um basta nisto tudo e partir para uma igualdade entre todos; portanto, deixar de vender seu corpo para sobrevivência, sem qualquer pudor e amor para consigo própria, e passar a usar a inteligencia, estudo, postura e bom comportamento para terem o espaço realmente merecido e reivindicado a tempos.